Entenda Já Como Funcionam Os Tecidos Com Proteção Solar

Com o aumento das notícias e da informação a respeito de todos os males causados pela exposição direta ao sol, as pessoas têm buscado cada vez mais alternativas para proteger suas peles de incômodos e até de doenças graves provocados pelos raios UV.

Assim, filtros solares em creme, chapéus, óculos, e diversos outros adereços e soluções já fazem parte da realidade de grande parte dos brasileiros, independentemente dos seus tons de pele.

Outras peças que têm se tornado uma constante no vestuário das pessoas — e não somente para os dias de praia ou clube, mas também para quem pratica esportes ao ar livre ou, simplesmente, não se intimida em passear em dias de sol forte — são as roupas feitas com tecidos com proteção solar.

Por isso, no post de hoje mostraremos como elas funcionam, bem como outros detalhes importantes para quem deseja ter a pele livre de problemas e com o máximo de conforto. Continue lendo e confira!

Qual é a diferença entre as roupas com proteção UV e as feitas de tecidos comuns?

A princípio, as pessoas podem duvidar dos reais benefícios de se usar uma roupa que ofereça proteção contra os raios ultravioleta. E isso, normalmente, acontece porque não há muita diferença aparente entre elas e outro tipo comum de tecido.

Na verdade, a principal diferenciação se dá pelo tipo de fibra utilizada na fabricação, que possui uma absorção natural de radiação.

Como é feita a comprovação de que o tecido com proteção solar realmente funciona?

A Austrália — país com forte incidência de raios ultravioleta em todo o ano, e com alto índice de pessoas de pele clara — foi o local pioneiro em produzir tecidos do tipo protetor contra raios UV.

De fato, a venda das roupas protetoras só se tornou possível com a definição de padrões estabelecidos pela ARPANSA – Agência Australiana de Proteção à Radiação e Segurança Nuclear.

A partir desses padrões de fabricação, foi possível o estabelecimento dos fatores de proteção, que variam entre 15 (Proteção de 93,3%) e 50 (mais de 97% de proteção). Assim, qualquer valor abaixo de 93,3% desqualifica o tecido como protetor contra raios UV.

No Brasil

Como, no Brasil, ainda não existe uma legislação específica que regulamente esse tipo de tecido, a SOLO tomou o cuidado de seguir os padrões estabelecidos pela ARPANSA, e ainda é avaliada por empresas particulares credenciadas pelo INMETRO. Isso garante a veracidade das informações e, consequentemente, a eficiência dos produtos.

Mas não são apenas as camisetas feitas para práticas esportivas que passam por esse tipo de regulação. Bonés, viseiras, luvas e maiôs também podem ser submetidos aos laudos para as certificações a serem expostas ao consumidor, de acordo com a solicitação do fabricante.

Quais tipos de fibras são utilizados, e como é feito o beneficiamento para garantir a eficácia do tecido?

Como já explicamos, a diferença estética e tátil é quase imperceptível quando comparamos uma roupa feita de tecidos com proteção solar e as vestimentas comuns feitas de poliéster, poliamida ou algodão.

A diferença está na fabricação, que usa fibras feitas a partir de fios de dióxido de titânio. E, quando são fabricadas com algodão, as roupas especiais recebem um banho químico, contendo um aditivo de fotoproteção que garantirá a eficácia contra os raios ultravioleta.

A proteção para quem utiliza esse tipo de tecido em seu dia a dia se dá, portanto, em função de as fibras de dióxido de titânio — ou o revestimento químico — refletirem os raios solares em vez de permitirem que eles cheguem à pele.

Dessa forma, a trama ou a quantidade de produto que compõe cada peça é o que determina o nível de proteção solar estabelecido pelos órgãos responsáveis. E, vale lembrar, a proteção é dada pela construção do tecido — assim, enquanto ele se mantém integro, a proteção se mantém presente.

 

A partir de quanto tempo utilizando a roupa a pessoa está protegida dos raios solares?

Não existe um tempo de espera para que a proteção do tecido se torne eficaz. A proteção já é iniciada imediatamente após vestir qualquer roupa desse tipo, e os passeios, corridas e o lazer — inclusive debaixo d’água — já podem ser realizados normalmente, sem preocupações com os problemas provocados pelos raios UV.

Como fazer para conservar as funções dos tecidos com proteção solar por mais tempo?

De fato, conservar uma roupa feita de tecidos com proteção solar é muito simples. Em primeiro lugar, independentemente da cor da peça, jamais lave com alvejantes químicos. Eles podem corroer as fibras ou retirar a proteção realizada com o banho químico.

E esse mesmo efeito negativo se dá quando a roupa é guardada ainda molhada. Por isso, sempre que acabar de utilizá-la, deixe-a secando em ambiente fresco e com sombra, antes de colocá-la na máquina de lavar.

Quanto à lavagem em si, basta seguir as recomendações descritas na etiqueta da roupa, o que garantirá que você terá sua peça por muito tempo, e sempre funcionando da forma desejada.

Como saber se é hora de parar de usar a roupa como proteção contra os raios UV?

É claro que, assim como qualquer outra roupa, as suas peças feitas de tecidos com proteção solar não durarão para sempre. Por isso, fique de olho quanto a certos sinais visíveis, como fios puídos, rasgos, descolorações sem causa aparente, entre outros aspectos que indicam o envelhecimento da peça.

De toda forma, o mais importante é ter uma preocupação constante quanto aos raios solares.

Afinal, eles são responsáveis por grande parte das doenças de pele, além do envelhecimento precoce e daquelas manchas indesejáveis. E não se esqueça de usar o filtro solar mais adequado para você nas partes em que a sua roupa protetora não estiver cobrindo, ok?

E aí, gostou do nosso post? Sobrou alguma dúvida sobre o assunto? Deixe-nos o seu comentário e divida sua experiência conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *